expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Páginas

Imagine com Niall Horan



OBS: Hot


Imagine hot com o Niall.

- Your make me think, you’re  my every minute of my every day .. – Eu cantava enquanto terminava o Segundo capítulo do meu TCC.
Obviamente, não é fácil estar no terceiro ano de faculdade, ainda mais quando se estuda medicina veterinária. Eu moro no paraná, em um prédio lotado de universitários, que se localiza em frente a faculdade.
No meu primeiro ano, uma polêmica internacional girou em torno do meu nome. One Direction fez um show em São Paulo, e eu como a boa directioner que era, fui. Acabei ficando sem jantar por uma semana para poder pagar o ingresso M&G, sem contar os estágios que eu peguei, é, vida de universitário não é nada fácil!. Enfim, na tarde do show, eu fui com duas amigas até o local do M&G, e de alguma forma Niall Horan gostou de mim. Na hora eu não havia percebido que ele estava me jogando indiretas, mas nos cinco minutos que tivemos ( era menos, mas ele pediu que ficássemos mais.) nos conhecemos bastante e acabamos nos aproximando.
Na noite depois do show, eu fui uma das convidadas para a after party. E  aí que entrou a polêmica, quando a festa acabou eu fui para o hotel com Niall, eu estava meio bêbada, ele não. Acabou que eu perdi minha virgindade com o meu ídolo. No começo ele não disse nada a ninguém, e muito menos eu, apesar de jornalistas e sei lá mais quem ficarem perseguindo os dois. As fãs me odiaram por um tempo, mas depois que Niall foi embora, e elas puderam ver que não havia um romance, nem nada ( pelo menos eu achava que não) da parte dele, elas se acalmaram.
No dia da ida de Niall, lembro-me de ter passado o meu endereço daqui de Londrina pra ele, á pedido do mesmo. Passaram-se dois anos, e nunca mais nos falamos, nenhum telefone, tweet, nem um sinal de fumaça.
Enfim, voltando á minha realidade, estava escrevendo sobre a transfusão de sangue em um cachorro com anemia gerada por uma insuficiência Renal crônica, quais são as medidas e cuidados tomados, etc.
- As vezes se eu me distraio, se eu não me vigio um instante, me transporto pra perto de você .. – Cantei mais uma vez, era engraçado, essa música me lembra Niall. Não que eu ficasse pensando nele, eu cresci, amadureci, namorei depois dele, mas ele foi a minha primeira vez, nem que eu tentasse eu conseguiria esquecer, e é exatamente o que diz na música “ parece que você já tinha o meu manual de instruções, porque você decifra os meus sonhos, porque você sabe do que eu gosto ... numa frequência que só a gente sabe”  simplesmente porque ele soube exatamente o que me falar na hora, soube onde me tocar para me fazer sentir confortável e desejada.
Claro, hoje eu tenho a vida que qualquer universitário gosta, vou á todas as festas seja da cidade ou de alguma república, sou conhecida como “gente boa” por alunos de outros cursos, sou sustentada pelo meu pai, mas não me imagine morando em um apartamento super chique, não se iluda, todo universitário é pobre! Pelo menos os que eu conheço são, a gente deixa de comer, ou economiza até o último centavo pra pagar alguma festa. Só três de nós tem carro, e por isso eles levam a galera toda amontoada pros lugares. É como disse um cara ai:
“ É a vida, pra quem faz da faculdade a melhor fase”
Meu interfone tocou de repente, bem eu não estava esperando ninguém, mas sempre aparecia alguém da turma.
- Sim? – eu disse.
- (S/N)?- disse o porteiro – Tem alguém aqui que diz ser seu amigo, ele fala meio enrolado, não quer falar o nome porque diz ser uma surpresa.
- Ham .. – Estranho! – parece ser alguém da faculdade?
- Parece ter a sua idade, mas é bem mais bonito que o pessoal da sua faculdade.
- Hãm, tá legal, manda subir.
Salvei o que já tinha feito do trabalho, e em seguida me olhei no espelho, eu estava ... legal. (http://24.media.tumblr.com/4a74ca6484d7c2701363b63cbaa73afb/tumblr_mliy17RnXQ1rzxfebo1_500.jpg)
Alguns minutos depois minha campainha começou a tocar, um pouco antes de abrir a porta eu senti um arrepio pelo corpo todo, aquilo me assustou.
Assim que abri a porta eu fiquei estática com a visão que tive. Niall Horan, escorado no batento de cabeça baixa. Assim que ouviu o barulho da porta sendo aberta ele levantou o rosto. Ah meu Deus.
Ficamos nos encarando, que reação mais eu poderia ter tido? O meu ídolo, o garoto que tirou minha virgindade, e o mesmo que agiu durante três anos como se eu nunca tivesse existido. Ah, só pra deixar claro, eu não guardo magoas dele.
- E- eu -  ele começou gaguejando ao perceber que eu não falaria. – vim passar as minha férias aqui, e bem, eu achei isso na minha mala – Me mostrou o papel onde tinha o meu telefone e meu endereço. – Eu poderia ter ligado pra avisar antes, mas não sabia qual seria a sua reação então  ..
De repente uma explosão de sentimentos confusos tomou conta de mim, eu estava feliz por ver que ele se lembrou, por ver que ele veio, por outro lado triste por pensar que talvez ele só esteja sendo educado, e não que ele sentiu saudade de mim realmente. Pelo menos não como eu senti dele nos primeiros meses.
- (S/N) fala alguma coisa.. -  ele disse gesticulando, parecia desesperado, sem o deixar dizer mais alguma coisa o abracei forte.
Niall por sua vez retribuiu com vontade, me apertou e beijou meu ombro. Eu havia esquecido como era bom estar ali nos braços dele. Um flashback de quando dormirmos juntos depois da nossa transa apareceu e eu o apertei mais.
- Que bom que não esta com raiva de mim. – Ele disse. – Pensei que estaria me odiando.
- Odiando não, mas estou com raiva sim. – O soltei. – Por onde andou?
- Se me deixar entrar posso explicar tudo. – Sorri tímida e dei passagem para que ele entrasse.
Fomos até a pequena sala do meu apê (http://3.bp.blogspot.com/-lBlIZ99b_Pk/Tg0SbqLxtWI/AAAAAAAAACQ/KdKSm23mZ4s/s1600/planoeplano_fattosportfarialima_decorado2.jpg) Bem, se lembra que eu disse que não tinha luxo? Mais ou menos, afinal, tudo o que eu tenho eu comprei com o dinheiro ganho de dias e noites acordada em estágio, e estágio no Haras. Alguns foram dados pelos meus pais e padrinhos.
- Sente-se. – Eu disse. – Quer tomar algo?
- Eu aceitaria uma água.
Fui até a cozinha e peguei um copo de água gelada para ele. Em seguida me sentei com uma perna dobrada em baixo da outra e de frente pra ele.
- Sinto muito ter sumido esse tempo todo. – Ele começou. – Eu achei que tinha perdido o seu bilhete, porque eu jurava que tinha colocado na minha camisa, só que não, estava na minha mala, e quando a gente chega em casa quem arruma é a Cher, ela é apaixonada por mim, e quando viu o bilhete provavelmente o escondeu nas coisas antigas da Lou, depois de quase oito meses a Lou foi fazer uma limpa nas coisas dela, e acabou achando, não liguei porque pensei que estaria com raiva.
Ele suspirou me esperando falar alguma coisa, eu apenas assenti.
- Bem, é apenas uma suposição, mas eu não quero mais falar disso. – Assenti de novo, nos encaramos por um tempo, ele passou os olhos por todo o meu corpo. – Gostei da tatuagem, você não a tinha quando eu te conheci.
- Tenho várias outras pelo corpo. – Sorri
- Eu com certeza vou querer ver. – Rimos, dei um tapa leve no braço dele.
- Você não muda né? – Continuamos rindo. – Fiquei feliz por ter vindo, de verdade.
Ele assentiu. – E ai, como vai a faculdade? espero que esteja se dedicando – Disse.
- Com certeza estou! – sorri. – Na verdade, daqui meia hora tenho que passar no Haras pra dar um vista geral, que ir?
- O que é isso?
- É um centro de treinamento para cavalos, eu preciso aparecer lá segunda, quarta e sexta, e as vezes quando tem alguma emergência.
- Legal, eu vou sim.
Conversamos por mais um tempo, ele me contou sobre os meninos, sobre os shows, o novo CD, etc.
Dez minutos depois eu já estava pronta para ir até o Haras, já estava com meu jaleco e maleta.
- Vamos com o meu carro. – Ele disse e eu concordei.

A experiência no Haras foi bem divertida, como médica veterinária lá eu ganhei um cavalo, no qual nomeei Thor, Niall se apaixonou por ele, até arriscou a dar uma volta, comigo claro.
Me ajudou a examinar os outros, me ajudou a dar banho em alguns ( não era minha tarefa lá dentro e sim dos empregados, mas como Niall insistiu com um bico lindo eu resolvi aceitar), me fez perguntas sobre raças etc.
Quando deu sete da noite entramos no carro para voltar pra casa, estávamos exaustos. Assim que chegamos ao prédio Niall parou o carro mas não se mexeu.
- Não vai entrar?
- Na verdade eu estou hospedado em um hotel, não se preocupe.
- Mas .. – eu disse o olhando, ele sorriu. – Eu pensei que nós passaríamos o dia todo juntos.
- Mas nós passamos!
- Meu dia inclui noite também. – Ele apenas sorriu terno e se aproximou de mim. Selou nossos lábios com força, ficamos ali parados, só naquele carinho, em seguida eu encaixei minhas duas mãos na sua mandíbula e aprofundei o beijo.
Quantas saudades eu senti daquilo, da língua dele dançando com a minha, as mãos apertando minha cintura, os dentes puxando meu lábio inferior. Terminamos o beijo com selinhos, porém nenhum teve coragem de se afastar, nossos lábios tocando um o outro, nossas testas coladas, mas não havia beijo. Estávamos curtindo a respiração quente um do outro, minhas mãos ainda acariciavam sua pele. Céus Niall Horan, o que você fez comigo?
- Fica aqui! – Pedi
- Janta comigo?
- Só se você vier se arrumar aqui!
- Que tal se você for se arrumar no hotel? -  Ele sorriu.
- Pode ser! Me espera?
- Sempre. – Selei nossos lábios de novo, em seguida sai do carro e corri para o meu apt.
Peguei as primeiras roupas um pouco melhorzinhas que encontrei, coloquei em uma bolsa grande e voltei para o carro de Niall que falava com alguém no celular.
Ele desligou e disse que era Liam, deu-me outro selinho e em seguida dirigiu até o hotel, que parecia bem luxuoso.
Entramos no hotel, o quarto era extremamente grande, tinha uma hidro, cozinha com aquele fogão que é no balcão, uma cama exageradamente grande, acho que cabíamos eu ele e o resto do one direction ali. Enfim, o quarto era lindo.
- Uau. – Ri. – quanto foi isso aqui?
- Nada que eu não possa pagar. – Sorriu.
- Ui, desculpa ai então.
Sorrimos, assistimos um pouco de Tv, porque segundo Niall estava cedo para ir jantar, a verdade é que a vontade de sair com ele havia passado, eu poderia ficar todos os dias ali com ele, estávamos com as pernas esticadas, já que o sofá esticava, Niall estava á minha direita me abraçando pelo ombro, a mão dele estava caída e entrelaçada com a minha perto do meu peito.
- Está com fome? -  perguntou baixo.
- Não, e você?
- Estou sempre com fome. – Rimos. – Você quer sair pra jantar?
- Sinceramente? Quero ficar aqui !
- Eu também. – Ele riu baixo e veio um pouco pra cima de mim me beijando. Coloquei minhas mãos em seu cabelo e retribui com vontade. A mão dele passeou pelo meu corpo. – Quero ver as suas outras tatuagens -  falou baixo em seguida riu.
- Você já foi melhor Horan. – Ele riu e me pegou no colo, me colocou na cama com delicadeza.
- Sabe .. – Ele se levantou e apagou acendeu a luz dos abajures que estavam ao redor da cama. – Acho que deveríamos fazer diferente.
- Ham? -  me apoiei em meus cotovelos e o olhei.
- Eu quero que se lembre dessa vez, porque da última você estava bêbada. – Eu ri.
- De que adianta me fazer lembrar? – Ele me olhou estranho, e eu desviei meu olhar para a sacada. – Você vai embora e vai acontecer tudo de novo.
- (S/N) ...
- Deixa, vem. – Me sentei na cama e estiquei minhas duas mãos para ele, que as pegou e ficou por cima de mim.
Sem falar nada me beijou fervorosamente. Nosssas mãos passeavam pelo corpo um do outro, puxei seu cabelo e ele ofegou, o que me deixou mais no clima. Não precisávamos de pressa, ele só iria embora no domingo, ainda tínhamos dois dias. Naquele momento, só queríamos curtir um o outro.
Quando acordei de minhas reflexões notei minha blusa no chão, Niall desceu os beijos pelo meu pescoço, em seguida se divertiu mordendo e chupando meu ombro.
Sua mão abriu o meu sutiã, e ele sorriu ao ver que na lateral do meu corpo eu tinha a frase “free your mind” ( liberte a sua mente) tatuada , me olhou e sorriu, e eu retribui. Suas mãos seguraram minha cintura com força, enquanto ele se mexeu até conseguir chegar com a sua língua na minha tatuagem, e passa-la por cima, o que me fez arrepiar e rir um pouco, a mão direita de Niall parou no meu seio e o massageou sem pudor algum.
Em seguida sua boca sugou o meu outro seio, ato que me fez gemer alto. Queria poder retribui-lo também, então escorreguei minha mão até seu membro já ereto e passei a mão por ele ainda por cima de calça, Ni fez o mesmo comigo.
Ele se levantou e tirou a própria blusa, inverti nossas posições e beijei toda a extensão do peitoral dele, que ao meu ver era delicioso.
- Tem um coisa .. – comecei baixo. – que eu sempre quis tentar.
- É só dizer.
- Eu tenho vergonha. – Voltei meu rosto para perto de seu e ri baixo, ele selou nossos lábios e encostou nossas testas, seus olhos azuis estavam me encarando de uma forma diferente.
- Tem vergonha de mim?
- Tenho.
- Sabe que não precisa. -  me beijou novamente, e inverteu nossas posição. – Diga o que você quer fazer pequena?
- um 69. -  sussurrei em seguida fechei os olhos fortemente, senti minhas bochechas queimarem.
- Eu não ouvi. -  ele riu baixo, mentira! Palhaço ele queria me ouvir falar de novo. – E vou continuar não escutando enquanto você não me olhar e disser o que quer.
- Niall .. – tampei meu rosto com as mãos. – não faça isso.
- Porque não. -  ele beijou minhas mãos e as retirou do meu rosto. – Olhe pra mim.
Suspirei, ele não iria desistir, umedeci meus lábios e devagar abri meus olhos.
- Agora me diz o que você quer que eu faça. – sorriu malicioso, porém compreensivo.
- m-e-i-a – n-o-v-e. -  disse pausadamente, em seguida mordi meus lábios e voltei a fechar os olhos. – Isso é tão constrangedor. – Ele riu.
- Não é não.
Se sentou na cama e me puxou para o seu colo, me beijando sem me dar tempo de falar alguma coisa.
Ele nos despiu das últimas peças que faltavam, e se deitou na cama ao meu lado, esperando que eu fizesse a tal 69.
Eu estava morrendo de vergonha, mas a curiosidade e excitação era maior, acabei fazendo a posição e o senti agarrar minha cintura com força. Passei minha mão pelo seu membro, distribuindo beijos leves desde a base até a ponta. Enquanto me divertia com seu membro, finalmente senti o que precisava: a língua dele em contato com o meu clitóris. Oh, aquilo foi como se milhares de borboletas voassem livremente pelo meu corpo.
Comecei a masturba-lo, e ao mesmo sentindo seus chupões, beijos, lambidas contra a minha intimidade. Ambos gemíamos, posso dizer que aquilo tudo era incrível, coloquei seu membro na boca, e ele gemeu alto contra a minha pele, o que me fez gemer também.
Senti meu orgasmo próximo, e por mais que eu gostasse de tê-lo com Niall dentro de mim, ele não poderia parar agora, eu morria só de pensar na possiblidade, e Niall foi fiel, não parou até perceber que a sensação totalmente relaxante tomou conta de mim. Acabei por gozar na boca dele, me sentindo mais envergonhada ainda.
Os movimentos dele ficaram mais fracos ao ponto que ele percebeu que meu órgão estava sensibilizado a qualquer toque. Enquanto isso eu aumentei os meu com a boca. Niall penetrou de vez quatro dedos em mim, e eu gritei, não só pelo prazer, não só por ser Ni ali, mas também porque ainda estava sensível. Ele pareceu se excitar mais com o meu grito, e eu comecei a sentir seu membro pulsando em minha mão, continuei com o movimentos rápidos, e ele fez o mesmo com os dedos. Vi que logo ele teve o primeiro orgasmo também, acabou por também gozar na minha boca.
Saímos daquela posição e ele meio que brutalmente me colocou deitada na cama de costas para ele. Procurou um preservativo, se protegeu, e me penetrou com força. Gritei novamente, dessa vez por conta apenas do prazer que eu senti, ele segurou em minha cintura e começou com movimentos fortes e rápidos, ambos gemendo e suados. Eu havia me esquecido de como nossos corpos se encaixavam perfeitamente, de como a sintonia deles era única.
Niall abriu minhas pernas com gentileza e colocou um travesseiro bem fofo em baixo da minha barriga, me fazendo ficar com o bumbum empinado, continuou com os movimentos rápidos e fortes. Nossos gemidos se misturavam no ar, ele murmurava palavras desconexas e xingava baixo. Meteu um tapa na minha bunda, que no começo ardeu, mas os que se seguiram foram totalmente prazeirosos. E não, eu não sou uma sadomasoquista.
Senti sua mão contornar o “ forever 18” que eu tinha abaixo das covinhas das costas. E o ouvi rir um pouco. Céus, acho que estou me apaixonando, aquela risadinha naquele momento era tão: vem ser meu pra sempre. Ou talvez eu estivesse apenas delirando com mais um orgasmo chegando. Niall abaixou o tronco, ficando com a boca colada ao meu ouvido.
- Eu não vou conseguir segurar muito (S/A) . – Suspirou. -  Mas eu não quero gozar sozinho, quero gozar com você, mas pra isso que preciso que você deixe vir, beijou minha nuca.
Sua voz estava rouca, grossa, alterada. Sem me contar, gritei pela terceira vez sentindo novamente um orgasmo. Niall mordeu meu ombro e gozou comigo. Ele caiu exausto na cama ao meu lado, mas ainda sim distribuiu beijos por todo o meu rosto, disse coisas carinhosas, me beijou de um jeito só nosso, enfim, ele foi um príncipe.
Não se iluda (S/N)
Niall Horan povs.
Não sei direito o que encontrei nela, mas sei que era exatamente o que eu precisava, era dela que eu precisava, da garota, que após transarmos na cama, no sofá, no balcão da cozinha e na banheira, estava deitada sob o meu peito prestes a pegar no sono.
- (S/A)? – eu chamei, passando a mão pelos cabelos dela.
- Sim? – ela disse já bem sonolenta.
- Não importa onde eu vá, eu sempre vou voltar pra você.

10 comentários

  1. Deixei um selinho pra você no meu blog
    http://imaginedirectioner1dfics.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Quando você vai postar mais imagines???
    Amei todos eles
    Você escreve muito bem....
    Amo seus hots

    ResponderExcluir
  3. Poste maiiiis por favooor e demaiis seus imagineees

    ResponderExcluir
  4. AAah quando tem mais?! sou apaixonada pelo seu blog! Faz um com o Boo Bear Malikita? ~Le 69HoranHugs And Malikisses.

    ResponderExcluir
  5. realmente voce escreve muito bem, e queria te convidar pra escrever no meu blog que é esse: http://postagens1d1d.blogspot.com.br/.

    Se quer por favor entre em contato com esse email: rebekalveslima@hotmail.com

    ResponderExcluir
  6. Você escreve realmente muito bem! Mas,você pegou a foto da sala do Ap de um apartamento de Barueri-SP? O AP é a copia do da minha tia! Não são os moveis,mais o imóvel é identico!Bjs

    ResponderExcluir
  7. aaaaaaaaaaahhhhhhhhh Londrina, Paraná
    tipo OMG, moro aqui mesmo, e faço faculdade de Veterinária
    AMEI AMEI AMEI !!!!!

    ResponderExcluir