Imagine com Harry Styles




Introdução: Você era uma estudante de fotografia em Londres. Você namorava Harry Styles a três meses, hoje era véspera de VMA.

- Eu preciso de você aqui, eu estou tão nervoso. Harry dizia com calma mas no fundo eu sabia que ele estava desesperado.
- Amor, eu não posso estar ai agora, estou no meio de um trabalho importantíssimo, juro que vou pra sua casa a noite ok? Na verdade, eu queria estar lá naquele mesmo momento.
- Você promete?
- Styles ...
- Prometa.
- Eu prometo, agora eu preciso ir, eu te amo muito, se cuida.
- Eu te amo.
{ ligação Of}
Passamos o dia todo trabalhando, fotografando novas modelos, aquelas com a esperança de um futuro na Victoria Secrets, ou nas passarelas do Fashion Week.  Foi duro, elas eram novatas e mal sabiam fazer as poses. Mas apesar de tudo eu gostava muito de fotografia, as minhas preferidas são aquelas descontraídas, amigas rindo ou fofocando, o sorriso de uma criança ao ganhar um balão, são coisas inspiradoras. Após seis horas longas e cansativas eu finalmente estava livre para ir pra casa.
Eu moro sozinha, mas mal fico em casa, quando não estou na faculdade eu estou na casa do Harry.
- Meu deus, são sete horas, preciso tomar um banho. Sim, eu estava falando comigo mesma.
Deixei todas as minhas coisas em cima da mesa, todas bagunçadas pra variar, e corri pra um banho rápido e merecido.
Assim que sai do banho haviam sete ligações perdidas do meu amor. Entrei em desespero e mal me arrumei, sem maquiagem, cabelo natural e :

Corri para a garagem e peguei o meu carro.  Harry morava á uma boa distância de mim, e no caminho era possível ver alguns paparazzis. Meu Deus, eles sempre estão no lugar certo, na hora certa.
Chegando até a casa de Harry, fui recebida pelo Zayn que se encontrava apenas de cueca.
- Harry tá no quarto dele. Zayn me deu um beijo.
Era possível ver Niall comendo algo que cheirava muito bem pela cozinha. Louis e Liam assistia Tv, após comprimenta-los eu fui até o quarto de Harry. Abri a porta devagar sem fazer muito barulho. Percebi que Harry estava no banho.
- Oneeeeeeeeeeeeeeeeeeeee Thing nana Fooooooooooooorever Young i wanna be .. Tooooooooooooorn nothing fines I’m tooooooooooooorn.
Belo remix não é? Harry cantarolava e confesso que eu ri disso, fiquei em silêncio em sua cama. Não demorou muito pra Harry sair do banheiro e assim que ele me viu ele abriu aquele sorriso perfeito, com aquelas covinhas encantadoras. Eu corri para abraça-lo, ele se encontrava apenas de toalha, mas eu não me importava.
Ele se trocou no banheiro, já que eu nunca tinha o visto nu. Se é que você me entendem, eram três meses de namoro e ainda não havíamos tido nada mais íntimo, sacaram? E eu queria mesmo preservar isso.
Eu estava olhando os porta-retratos de Harry, alguns na parede, perto de uma grande TV. O quarto estava iluminado com apenas dois abajures ao lado da cama de Harry, que se encontrava em frente á mesma Tv. Ao lado da esquerda havia uma poltrona e ao da direita havia uma porta que levava até o banheiro, e ao lado da porta um pequeno corredor que daria para a porta do quarto, corredor este que abrigava um pequeno armário.
Eu já disse o quanto acho Anne linda? Meu Deus, que mulher, agora eu entendo o porque da perfeição de Harry. Maldita genética.
Enquanto eu me perdia nos meus pensamentos senti Harry me abraçando por trás, seus músculos me fazia pirar, ele me abraçou pela cintura e eu passei minhas mãos pelos braços dele.
- Ela é louca pra te conhecer sabia?
- Ela é tão perfeita cara, vou me sentir um nada perto dela.
- Deixa de ser boba vai, ambos rimos. Ainda observávamos o retrato de Anne e Gemma.
Senti Harry passar seus lábios pelo meu pescoço, ato que me fez arrepiar. Ele me virou com um pouco de força e ficou sorrindo pra mim, eu apenas suspirei e envolvi meus braços em sua nuca. Ele colocou nossos narizes e logo depois nossos lábios. De primeiro instante não houve língua, apenas nossos lábios de acariciando levemente, e depois de poucos segundos Harry pediu passagem para um beijo, e eu cedi.
Por acaso eu já comentei o quão bom era o beijo do Harry? Eu simplesmente não consigo ficar sã quando nos beijamos, pra ser sincera, nem lembro do que eu senti no nosso primeiro beijo, não lembro no que eu pensei na hora, me lembro de deixar Harry me guiar, e eu me sentia nas nuvens. E depois de três meses, ele ainda me fazia flutuar com seus beijos. Após o beijo, ainda com os lábios colados Harry sorriu, e eu também.
Nos sentamos na cama dele e ele ligou a televisão
- E aí, o que quer fazer? Ele me perguntou com um sorriso um tanto malicioso.
- Deixa disso Styles. Porque a gente não conversa?
Ele se deitou na cama – ah, ok. – E fez uma expressão de tipo “droga”.
- Está ancioso?
- Demais, eu não sei amor, mas eu sinto que vamos ganhar.
- Eu não tenho a menor dúvida. Sorrimos e trocamos selinhos.
- E ai, já escolheu sua roupa?
- ah amor, do jeito que você diz parece que quem vai ganhar o prêmio sou eu. Eu apenas vou assistir o show amor, não sabia que tinha que estar com aqueles vestidões.
Harry soltou uma risada gostosa. – Você não precisa, mas eu quero você linda.
Ficamos conversando por mais um bom tempo, e quando eu olhei para o relógio já eram 23 hrs.
- Deus, eu preciso ir Harry.
- Dorme aqui?
- Haz, você precisa..
- Por favor – ele me interrompeu.
- Nono, você tem que descansar.
Harry fez um biquinho adorável.
- Harry, nada disso. – Ele continuou. – Harry para, que droga Styles, você é assim né? Sempre consegue tudo o que quer, tudo bem eu durmo.
Ele sorriu e me puxou para a cama, nos beijamos novamente, e decidimos entrar um pouco no computador e dar uma olhada no Twitter. Logo depois nos deitamos, Harry me emprestou sua camiseta do Ramones e Liam me deu um shortinho que Danielle tinha esquecido lá. Por falar nela, eu havia ligado pra ela um pouco antes de deitar, e ela disse que no dia seguinte iriamos juntas para o VMA.
Harry e eu dormimos abraçados a noite toda, esta mesma que passou tão rápido. No dia seguinte, eu incrivelmente acordei sozinha na cama, havia apenas uma caixa de bombons com um bilhete escrito “ te vejo á noite eu te amo”.
Fiquei tão boba com o bilhete que demorei uns dois minutos para olhar o relógio. E Meu Deus, eu estava atrasada para a manicure, cabelereira e maquiadora.
Eu dei “ uma ajeitada” na minha aparência e desci as escadas correndo. Entrei em meu carro e corri para um estúdio de beleza na qual os profissionais eram os mesmos que me ajudaram no trabalho no dia anterior.
Eu passei o dia todo lá, e no final me sentia pronta para ir. Usei uma camisa branca com uma gola solta preta, uma saia preta, e uma saia Mullet preta, e um sapato Oxford de salto.
Assim que eu cheguei em casa, fiquei no sofá esperando pelo meu amor e pelas meninas. Logo eles chegaram e fomos direto pro local onde ocorreria o VMA.
Ao chegarmos, acho que o meu estilo chocou muito, eu adorava ousar. E mesmo não sendo uma estrela muitas fãs pediram fotos comigo.
Harry ainda não tinha ido para o tapete vermelho ele me abraçou e eu o apertei fechando os meus olhos.
- Boa sorte meu anjo, eu vou para a plateia com as meninas. E não se esqueça, não importa o resultado, eu e suas fãs te amamos, e sentimos muito orgulho de vocês. Sussurrei duranto o abraço.
- Eu te amo, e obrigada por tudo.
Comprimentei os outros meninos e eles foram para o tapete vermelho.
Eu, Dani, e El fomos para o lado oposto, entraríamos pelos fundos até a arquibancada onde estavam reservados os lugares para nós e os meninos. Enquanto andávamos haviam muitos fotógrafos e eu me senti uma estrela, por 15 minutos não é pecado né?. Danielle e Eleanor estavam encantadoras também. Nos sentamos, e depois de uma hora, os meninos deram entrevistas e tiraram fotos e depois foram se sentar conosco. Harry se sentou do meu lado e eu segurei sua mão.
Rihanna se apresentou e os outros também. Katy Perry logo anunciaria o vencedor do melhor clip.
- E o prêmio de melhor clip do ano vai para ...
Eu senti as mãos de Harry soando, e tremendo, eu as apertei, Harry mantinha seus olhos fechados.
- OOOOOOOOOOOOOONE DIRECTION
- OMG,OMG
Harry me abraçou em um gesto de desespero, felicidade, emoção, tudo ao mesmo tempo, e logo abraçou os meninos, eles se dirigiram para o palco e eu acho que nunca sorri tanto na minha vida. Eles agradeceram, e Katy continuou lá.
Mas aconteceu algo, que eu não esperava, eu vi todos de boca aberta, e me levantei para ver o que acontecia no palco, eu mal enxergava então olhei para o telão e vi Harry e Katy em um selinho. Eu praticamente cai na cadeira, e Danielle segurou minha mão. Eu não sabia como reagir, minha mente ainda não havia processado se aquilo era real ou não. E quando eu finalmente fiquei sã. Eu simplesmente me levantei e me retirei. Enquanto Katy “pegava” Niall agora. Danielle até quis ir atrás de mim, mas Eleanor disse que era melhor não. Paul foi atrás de mim e disse que me levaria pra casa.
Quando saímos de onde estavam ocorrendo as apresentações, ficamos ao lado do tapete vermelho, muitos, muitos repórteres vieram atrás de mim, e eu apenas abaixei o meu rosto e continuei.
Enquanto isso Harry subiu novamente para a arquibancada, e não me encontrou.
- Ela não está mais aqui ! Disse Danielle sem olhar para Harry.
- O que? Pra onde ela foi?
- Não sei, só sei que ela está nervosa Harry, e eu tenho medo de que ela faça uma loucura.
- Eu, eu ..
- Não vai atrás dela?
- Eu não posso,não posso sair assim.
Um dos repórteres me puxou para trás virando meu rosto, e eles conseguiram o que queriam, uma foto minha desabando em lágrimas. Paul me puxou para perto dele e me levou até o carro. Ficamos em silêncio o caminho todo, e quando chegamos em casa Paul me abraçou forte sem dizer nada, acho que não havia nada para dizer.
- Você vai ficar bem? Disse ele segurando meus braços.
- Sim, eu vou. Dei um sorriso falso.
Eu entrei em casa e Paul voltou para o VMA. Eu joguei minha carteira na mesa, tirei o meu salto, e soltei o meu cabelo. Eu estava me sentindo um lixo, e ainda chorava muito. Eu andei até o meio da sala e desabei no chão,o que me fez chorar mais ainda.
Passei minha mão sobre o meu rosto, e vi toda a minha maquiagem borrada. Eu quis gritar, não sei o que houve, mas eu quis me machucar.
Eu olhei para o meu notebook em cima da mesa e fui até ele, entrei em meu twitter.
De 3000 seguidores eu passei para 5.000. Porque eu insistia em fazer isso? Eu não sei, mas eu precisava ver o que estavam falando sobre mim. E aquela foto? Aquela maldita foto em que eu estava chorando, ela já estava em todos os sites, “ Harry Styles trai (S/N)” estava nos assuntos mundiais. Então eu fui ver o que me mandaram no Twitter, vi coisas do tipo:
@LovesHS- Nunca foi o suficiente, eu sabia que aconteceria isso mais cedo ou mais tarde, quem você pensava que era? (:
@Hate-(s/n) HAHAHAHAHA, se ferrou brasileirinha, eu acho muito pouco, quem é você perto da Katy Perry?
@Hazzaismine- Toma sua vadia, eu achei muito pouco, e na boa? Se eu fosse você eu estaria tentando me matar agora.
“ Eu estaria tentando me matar agora”. Que coisa horrível, eu bati o notebook e simplesmente sai daquele lugar. Eu ainda chorava muito e ouvi meu celular tocando, era uma mensagem de Harry
“Onde está você? O que houve? – Harry. “
- Desgraçado. Gritei, e senti ódio na minha voz, senti dor nas minha lagrimas e eu já não era mais capaz de sentir meu coração. Joguei o meu celular contra a parede, e gritei, gritei o mais alto que pude a fim de liberar o que eu sentia.
Fui para o meu quarto e em seguida para o banheiro, enchi a minha banheira de agua quente, tirei a minha roupa e fiquei lá. “Estaria tentando me matar”, “ Nunca foi o suficiente”, essas frases não saiam da minha mente, o que me fez chorar mais ainda, eu olhei para o lado, e vi, talvez a minha única saída. Eu nunca tinha feito isso antes. Mas dizem que a dor física as vezes é maior do que a sentimental.
Eu me estiquei um pouco e peguei aquilo, eu parei para olha-lo, fechei os meus olhos, e sim, eu fui capaz de me cortar com uma gilete. A dor era tanta que eu me esqueci do que senti quando li as frases, e quando vi Harry beijando outra. Saia muito sangue, foi horrível de se ver, mas quando acabou, foi um alivio. Como se não bastasse eu forcei o vômito, eu precisava disso, um pouco de tortura. Eu não sou uma louca, nem nada. Mas isso me aliviou.
Fiquei parada na banheira, sem saber o que fazer, eu ainda chorava, mas agora era pior, eu sentia nojo de mim mesma, e estava começando a concordar que eu não era o suficiente.
- Eu não vou entrar naquele Twitter, eu não vou mais fazer isso.
Assim que sai do banho fui direto para a minha cama. Nunca me senti tão fria, ainda não havia parado de chorar, mas agora eram lágrimas de raiva, e eu realmente tinha medo do que isso tudo podia fazer comigo.
Eu coloquei uma camisola branca, e me olhei no espelho. Tive vontade de vomitar com o que eu via.
- Mas que droga, amanhã eu preciso sair para tirar as fotos pro trabalho, merda,merda.

Eu me deitei, pensando em como eu agiria amanhã na frente das pessoas. Devo sorrir? Devo dar entrevista? Não, não, eu tenho que abaixar o rosto e fazer meu trabalho. É, é isso o que eu farei. Logo adormeci.
De fato, o que mais me irritava era que Harry não havia movido um dedo para me procurar, apenas mandou uma mensagem, e ainda perguntava o que havia acontecido.
A noite foi longa, e boa, muito boa, incrível como as vezes um bom sono é o melhor remédio. Amanheceu com um tempo tão frio, eu ainda não tinha nenhuma noticia de Harry, eu se quer liguei a Tv, ou o computador, estava decidida a sair pelas ruas de Londres fazer o meu trabalho. Pra minha sorte estava frio, a brisa era cortante, assim eu poderia usar mangas longas e ninguém viria meus cortes.
Me vesti como Cher Lloyde, uma calça Skynni, uma blusa de lã branca com a Torre Eiffel , uma bolsa vermelha , um lenço no cabelo que me deixou com um estilo meio pin-up e um Oxford baixo também branco.
Tentei ao máximo melhorar a minha aparência, mas digamos que depois de tanto choro era meio difícil. Passei maquiagem o suficiente para esconder o vermelho e as olheiras.
- Isso não vai estragar o meu profissionalismo, não vai.
Disse enquanto me olhava no espelho. Peguei a minha bolsa com as câmeras e algumas reportagens com exemplos de fotos etc. Respirei fundo e abri a porta, senti um frio cortante em meu rosto, mas novamente eu suspirei e segui o meu caminho. Como eu queria pegar fotos descontraídas de pessoas desconhecidas, em momentos simples eu fui a pé.
“Ninguem por perto da minha casa, ótimo, quem sabe já não esqueceram disso? Vai saber o que aconteceu depois que eu fui embora”. Eu me perdia nos meus pensamentos enquanto andava e assim que me aproximei do London Eye, alguns fotógrafos se aproximara.
- Já estavam demorando. Murmurei.
- Hey, hey ( S/N), Meu nome é Robert, eu sou da revista de Los angeles. Fala pra mim o que aconteceu ontem?
- Olha, eu te entendo, mas eu também tenho um trabalho, e eu só quero trabalhar em paz. Apenas sorri e continuei meu caminho, ele não me seguiu, acho que no fundo ele sabia que por trás daquele sorriso já haviam escorrido muitas lágrimas.
Já na London Eye eu vi um menino brincando com bolinhas de gude perto de um carrinho de algodão doce. Achei isso hilário e pela primeira vez no dia, o meu sorriso ao ver aquilo foi verdadeiro, então me aproximei, não muito perto, fiquei em um ângulo onde na foto seriam visíveis o menino brincando e o carrinho de algodão doce, havia mais uma criança, que comprava o algodão doce, ela também sorria. Peguei os três.
- É isso que eu chamo de fotografia. Eu já havia me esquecido de toda a dor. E quando olhei para a direita havia uns três paparazzis. Decidi que não iria me importar com isso. As fotos que eles tiravam eram automaticamente publicadas na internet, nem imagino como, mas eram.
Avistei um casal. – Olá, o meu nome é (S/N), eu sou fotógrafa e queria saber se posso tirar uma foto de vocês pro meu portifólio.
- Claro, meu nome é Sam.
- É um prazer Sam.
- Eu sou Lisa. – É um prazer.
- E então, como ficamos?
- Eu quero um beijo.
Então eles se beijaram e eu pude ter uma linda foto. Eles pareciam tão naturais. Trocamos telefones e eu prometi enviar uma cópia á eles.
Eu passei no mínimo umas duas horas e meia fotografando, desde casais até velinhas sentadas conversando em um banco. Pra mim esse era o espírito da fotografia, retratar a realidade como ela é. Não sou a maior fã de fotografar modelos, porque elas não são daquele jeito. Isso faz sentido? Bem eu não sei, de qualquer forma, eu fui até a minha faculdade para revelar as minhas fotos.
Ao chegar no estúdio para revelar, enquanto eu mexia em minhas fotos e penduravas algumas chegou Marianne – lê-se Merry em- Uma amiga minha, também fotografa.
- Como vai minha fotografa favorita? Ela disse sorrindo.
- Mal né.
- É eu imaginei, mas olha amiga, eu devo dizer, que comigo é assim: se eu sofrer vai ser linda, maquiada e de salto alto. Então nada de chorar mais ok?
- Ok. Sorri. – Meu deus eu preciso ir almoçar, que fome. Você quer vir?
- Não preciso revelar mais fotos.
- Ok.
 Terminei o meu trabalho, coloquei em um lugar que era reservado para mim e sai.
Pensei em ir ao Nandos, aquele lugar serve uma comida maravilhosa, mas nando’s me lembra Niall que me lembra Harry.
Então fui para um restaurante ali perto mesmo, afinal eu estava a pé, por todo os lugares que eu ia haviam fotógrafos.
Era um lugar aconchegante, quentinho, tranquilo, com uma musiquinha suave ao fundo, e uma decoração linda. Fui atendida e enquanto esperava o meu pedido, eu fiquei pensando se Harry estaria preocupado comigo.
Por mais fácil que pareça dizer “eu não vou mais pensar nele” é inevitável, eu o amava, mesmo depois de tudo. E quando se ama, tudo faz você lembrar daquela pessoa.
- Olha, quem está aqui !
Olhei para trás e vi três garotas, deviam ter no máximo 15 anos.
- Se não é a fotografazinha que roubou meu futuro namorado
“ futuro namorado?” fala sério.
- Roubou nada amiga, ela foi traída. As três riram. E eu continuei o que eu fazia.
- Você pode até tentar ignorar a gente, mas nada muda o fato de que você é como o resto dos brasileiros, lixos !
Perai, me julgar é uma coisa, mas julgar a minha nação é outra. Eu tive vontade de explodir ali, mas continuei quieta.
- Porque não vão procurar algo útil pra fazer ao invés de ficar atormentando a menina?
Um garçom disse, e as três saíram. Ele me serviu.
- Obrigada, acho que mais um pouco e eu falaria besteira. Sorri sem graça.
- Imagina.
- Porque não se senta?
- Eu não posso, preciso trabalhar. Mas o meu nome é Arthur, se precisar de alguma coisa, me diga.
- Obrigada.
Terminei a minha refeição com aquela frase na mente “brasileiros são como lixos”. Porque isso me dava vontade de chorar?. Paguei a minha conta e segui meu rumo, enquanto eu andava dei de cara com Danielle e Liam, ela me segurou e disse:
- O que aconteceu? Ficou louca? Você sumiu !, porque não atendeu o telefone?
- Uma coisa de cada vez Dani, eu quebrei o meu telefone, e depois do que aconteceu, o mínimo que eu tinha que fazer era sumir.
- O Harry ta muito preocupado com você (S/N). disse Liam enquanto me olhava.
- Engraçado, na hora de beijar Katy ele não se preocupou !
- Foi só um selinho.
- Liam, selinho é um beijo, um beijo é traição e eu sou uma pessoa que não perdoa traições.
- Vamos pra casa do Li ( S/N) a gente toma um chá e conversa.
- Nem pensar, vou encontrar Harry.
- Ele não está lá ( S/N)
- Você promete?
- sim.
Então eu concordei em ir, entramos no carro, chegando lá Liam nos deixou sozinha na casa para conversarmos. Enquanto Danielle fazia um chá eu abri o meu twitter. E por acaso eu ainda estava nos assuntos mundiais agora como: (S/N) vs Katy Perry.
Me senti pior ainda. Mas vi uma mensagem de Katy para Harry que dizia:
- Espero que você encontre seu amor Harry, e que ela te perdoe e entenda.”
“Que raiva, que raiva “espero que ela entenda” entender o que? Que ele me traiu com você? “ sem contar aqueles mais de mil tweets me xingando.
- Fecha isso? Dani disse me olhando com pena.
Eu a obedeci.
- Como você está?
- Querendo morrer.
- Não diga isso.
- O que quer que eu diga?
- Quero te mostrar algo.
E então novamente abriu o Twitter e entrou no do Harry. Ele havia publicado:

“ Uma vez meu pai me disse: Ame uma mulher como se ela fosse única Harry, porque não importa com quantas você tenha se divertido, só vai haver uma que vai fazer o seu coração acelerar com um toque. Eu sinceramente não acreditava que isso era possível, não acreditava até acontecer comigo. Ele me deu essas alianças e me fez prometer que eu as daria para a mulher que eu amasse, quando eu tivesse certeza de que ela era a mulher certa. E eu as guardei em um lugar onde ninguém sabia. E então eu fui atrás do meu sonho de participar do X Factor, enquanto ela realizava o sonho de vir para Londres. Eu ganhei o mundo com as músicas, e ela me ganhou com um sorriso. Só que, quando a gente ama demais, a gente erra. Alguns erram feio, e eu errei. Acho que a essa altura todos já sabem de quem eu falo. E eu queria dizer que eu a procurei em todos os lugares, mas não a encontrei. Amanhã nós faríamos quatro meses, e eu pretendia dar essas alianças pra ela. Porque é ao lado dela que eu me imagino casado, e quem sabe com filhos. Eu te amo (S/N) e onde quer que você esteja eu queria que soubesse disso, e que acima de tudo, me perdoasse.”
Enquanto eu lia aquilo, lágrimas se escorreram e em questão de segundos Harry entrou desesperado na casa. Liam obviamente o tinha avisado.
Minha vontade era de abraça-lo e sentir de novo o cheiro dele. Mas eu não podia, meu orgulho não deixava. Danielle se levantou e disse que tínhamos muito o que conversar e que ela e Liam sairiam.
- O que aconteceu? Porque fez isso? Eu fiquei desesperado.
- Não seja irônico. Eu disse já saindo da sala. Harry me segurou pelo braço de modo que a manga da minha blusa se levantasse deixando os cortes á mostra.
- O que é isso? Harry me disse com uma expressão desesperada.
- Me deixa em paz
- Não, você não fez isso, foi por minha causa?
- E por quem mais seria?
Harry se sentou no sofá com os cotovelos apoiados nas pernas e as mãos cobrindo o rosto. Pude ouvir seus soluços. Ele chorava tanto, que toda a minha raiva tinha ido embora. E eu comecei a chorar logo em seguida.
- Eu não aguentei Harry, não aguentei te ver com outra mulher, não aguentei os comentários das suas fãs, e você se quer foi atrás de mim.
-Minhas fãs? O que? Ele levantou o rosto.
- Ela me disseram que eu não era o suficiente, e me chamaram de lixo.
- Mas que, que ridículo ...
- Deixa pra lá Harry , eu perdoo voc....  – que deixa pra la o que? Ele me interrompeu. – Espera, o que você ia dizer?
- Danielle me mostrou o que você publicou no twitter, e ninguém nunca fez isso por mim.
- Ta me dizendo que me perdoa?
-Só se prometer se manter longe das tentações.
As lágrimas no rosto de Harry foram substituídas por um sorriso contagiante.
- Eu prometo, e me prometa que não fará mais isso. Ele tocou os meus pulsos e os beijou.
- Eu prometo. Nos abraçamos forte, como se fosse o último abraço.
Harry segurou minha cintura me aproximando mais dele, e me beijou, um tanto carinhoso, aumentando o ritmo acompanhando nossos corpos se colando. Aos poucos ele me empurrava em direção ao quarto. E sem que eu pudesse esperar ele me pegou no colo, eu sorri e voltei a beija-lo. Ele me levou até o seu quarto, e se sentou na beira da cama comigo ainda no colo dele. Eu me levantei e apaguei a luz, deixando o quarto iluminado apenas com aqueles dois abajures. Harry se levantou e veio até mim, me puxou com força colando meu corpo no dele.
Enquanto beijando meu pescoço ele acariciava minha cintura, passando uma das suas mãos por baixo da minha blusa, sua mão estava gelada, e minha barriga quente, mistura de temperaturas que me fez estremecer.
Passei uma mão pelos cachos de Harry enrolando meus dedos neles, puxei levemente seu cabelo e o beijei novamente. Harry aos poucos erguia minha blusa, mas eu já fervendo acabei tirando, ato que fez Harry sorrir. Senti a mão de Harry descendo até o meu bumbum, e apertando levemente. Ele me arrastou novamente para a cama, antes de deitar tirou sua própria camisa, me segurou em seus braços e aos poucos me deitou na cama. Deitando-se por cima de mim, começou a beijar meu pescoço, subindo um pouco para a orelha, e logo após passando seus lábios por todo o meu corpo. Mordeu minha barriga deixando uma pequena marca vermelha, aquilo doeu, mas confesso foi ótimo. Ele abriu minha calça descendo-a e passando a mão pela minha coxa, eu apenas fechei meus olhos. Ele abriu sua própria calça porem redirecionou seu rosto para o meu, dando vários selinhos. Descendo seus lábios para a alça do meu sutiã, ele me ergueu e abriu o mesmo. Admito estávamos fervendo, e eu queria que Harry parasse de enrolar. Ele abaixou minha calcinha, sempre me olhando maliciosamente. Sempre sorrindo de canto. Eu nunca pensei que aquelas covinhas além de fofas podiam ser sexys também. Ao ficarmos ambos inteiramente nus, Harry me olhou e sussurrou se eu tinha certeza disso, e eu apenas afirmei com o rosto. E sem muita enrolação, Harry começou a penetração e depois de um bom tempo chegamos juntos ao orgasmo. Ele se deitou ao meu lado, e nos cobriu. Eu não conseguia parar de sorrir. Harry se virou e abriu uma gaveta de onde tirou uma caixinha.  Ele me entregou
- abra.
Quando eu abri tinha aquelas alianças, as mesmas da foto no twitter. Eu o olhei e ele disse:
- Eu sei que achei a mulher certa.
Eu apenas sorri e o abracei, ele colocou as nossas alianças. E no mesmo dia ele fez questão de colocar uma foto nossa no twitter com aquelas alianças. Onde ele pedia para as fãs respeitarem a mulher que ele amava, porque eu o fazia muito feliz, e que se brigássemos daquele jeito novamente, ele perderia o controle. No fim, Katy me pediu desculpa pelo twitter e acabamos saindo juntas.

Escrito por: J.M

4 comentários