Imagine com Louis Tomlinson




Aumeme: Ada Barros ( Brazilians-1D)
Introdução: Você era uma estudante de engenharia e estava trabalhando em um grande projeto para a faculdade. Louis Tomlinson era seu namorado á um mês, e você ainda não tinha se acostumado a ser o centro das atenções das directioners. Uma grande parcela delas não apoiavam você e o Lou ( carinhosamente você o chamava assim). Lou estava em turnê pelos E.U.A .

Não vou dizer que tem sido fácil ficar longe de Lou, mas ultimamente minha cabeça tem estado tão ocupada, que as únicas horas em que eu posso parar para chorar, ou pensar somente nele são um pouco antes de meu sono. O que não impede que ele tome lugar nos meus pensamentos no meio das aulas.
Vou contar como tudo começou. Há dois meses atrás, Lou  eu nos conhecemos quando eu estava projetando um palco para um show deles em Londres, o palco era totalmente diferente dos convencionais, haviam passarelas por todos os lados. Pois era pra um festival na verdade. Acabamos nos encontrando por acaso quando estávamos trabalhando ( cada um na sua área) e marcamos de sair. Depois de um mês sendo quase irmãos, veio o pedido de namoro.
- Queria que isso nunca tivesse acontecido comigo, queria que o anel nunca tivesse sido dado á mim.
- Assim como todos que testemunham ter passado tempos ruins, mas não nos cabe decidir o que vai acontecer, o que nos cabe é decidir o que fazer com o tempo que nos é dado.
“Gandalf sempre sabe o que dizer, e a hora certa para ser dito” pensei assistindo o meu filme favorito. Senhor dos Anéis. É incrível como eu sou a única pessoa no mundo capaz de assistir os três filmes em um só dia !
Eu estava jogada  no meu sofá depois de um dia difícil na faculdade, o meu curso é integral o que me cansa mais ainda. O filme havia acabado, fiquei trocando de canal por minutos, até aparecer o adorável rosto do meu príncipe em um canal de fofoca. Eles estavam falando algo sobre um show que foi feito ontem, nada que Lou já não tivesse me contado quando me ligou na hora do almoço. Fui até a cozinha pegar algo para comer.
- Ei (S/A) , está em casa? -  Ouvi a doce voz da minha bebê.
- Sim Perrie, entre, eu estou na cozinha. -  Sempre que os meninos viajavam e Perrie tinha uma folga de Little Mix, ela ia lá pra casa pra fazermos, qualquer coisa que garotas carentes fazem..
Perrie entrou na cozinha e beijou o meu rosto, combinamos de fazer um brigadeiro.
- Então quer dizer que, depois de um mês, o namoro de Louis Tomlinson com (S/N) acabou?
Rapidamente fui para a sala sendo seguida por Perrie.
- É o que parece Dan, ontem ele foi visto com uma garota desconhecida – Eu prestava atenção em cada detalhe sentindo meu coração quase pular pela minha garganta. – Eles estavam aos amassos após o show de ontem em L.A e hoje de manhã no centro.
(N/A : Imagine que as fotos abaixo são da garota desconhecida com o Lou):
    

















Eu não sei ao certo o que senti, só sei que era uma mistura de nojo, raiva, decepção. Perrie estava ao meu lado com os olhos bem abertos. A essa altura meus olhos e rosto já estavam pingando lágrimas, Perrie se desesperou e me abraçou.
- Calma (S/N) talvez .. – Ela hesitou – seja só uma fã !
- Uma fã Perrie? Uma fã dentro do quarto de hotel dele?
Senti um enjoo vir á tona, e eu imediatamente me desfiz dos braços de Perrie, e corri para o banheiro, colocando pra fora qualquer coisa que eu tivesse comido. Pedi para que Perrie me deixasse sozinha, talvez tenha sido um pouco grossa, mas eu realmente precisava pensar e falar com Lou. Assim que ela saiu, me joguei na cama, me sentindo uma completa desprezível. Então eu não era o suficiente? Se era pra me trair porque me pediu em namoro?.
Eu não soube o que fazer. Liguei o Mac e entrei no twitter. Já estavam nos assuntos mundiais. Me senti mais enojada ainda.
@ LoveLouis – Bem feito vadia, eu sabia que esse namoro de merda não duraria muito ..
@ MileWant – Não posso acreditar que Lou fez isso, não é possível, (S/n) é perfeita, é carinhosa, todo mundo via o amor estampado no rosto dos dois.

Os comentários iam dos mais maldosos possíveis até os que me davam força, por algo que eu nem sei se era real. Continuei chorando a noite toda, até adormecer, eu falaria com Louis, falaria no dia seguinte.

Acordei completamente inchada, haviam duas mensagens de Harry no meu celular. As duas perguntavam se eu estava bem. Ele sabia, que eu sabia.
- Sim? – Lou atendeu com a voz sonolenta. Eu hesitei por um momento, guardando a minha vontade de desabar em lágrimas.
- Que merda é aquela que passou na Tv ontem Louis? – Eu disse em tom de desprezo, não pelo fato, mas sim por ele.
- Amor, eu posso explicar ..
- Então explica Louis – eu interrompi. – Explica antes que eu perca a coragem de ouvir a sua voz e desligue essa porra na sua cara.
Eu definitivamente estava nervosa.
- Amor, se acalma ta legal? -  a voz dele já tinha mudado completamente de entonação, agora ela parecia calma, certa e compreensiva. – Aquilo, aquelas fotos, amor não tem nada a ver, ela é só uma amiga.
- Você não me beijou quando éramos amigos. – Cuspi as palavras pra ele.
- Não significou nada pra mim, absolutamente nada.
- E por isso você não ia me contar? Pensou que só porque não significou nada eu não me importaria? Já viu o que estão falando sobre mim Louis? Você tem alguma noção do quão inútil e repugnante eu estou me sentindo agora?
- Amor...
- Para de me chamar assim, eu não sou seu amor, aliás eu nem sei quem você é, porque você não é o Lou que eu conheci. Acabou louis, não me ligue mais. -  Desliguei sem nem mesmo ouvir sua resposta. Eu estava decidida, não importa que ele era o garoto dos meus sonhos desde os meus 15 anos, traição eu nunca iria perdoar.
Perrie me ligou algumas vezes, ignorei todas. Me arrumei para a faculdade, desci o prédio sem qualquer intenção de falar com alguém. Entrei no meu carro e sai pelos bairros afastados da cidade. Eu teria que pegar a pista para chegar ao campus. Assim que entrei na rodovia fui tomada por um surto, as lágrimas começaram a escorrer, e algo simplesmente me dizia que aquilo era o certo. Acelerei, a sensação de poder era fascinante, eu devia estar no mínimo á uns 150 km/ h .
Havia uma curva fechada adiante, um sorriso maldoso apareceu no meu rosto, e eu acelerei, acelerei o máximo que pude.
Louis Tomlinson POV.

Ela estava ali, deitada, uma barra de ferro havia atravessado o seu corpo. “ Isso não teria acontecido se você não tivesse sido tão idiota”, a frase não parava de ecoar na minha mente. Ela estava em coma á uma semana e meia. Haviamos cancelado os shows.
Canal CNN – E.U.A – Hotel.
- A vitima ainda não foi reconhecida, sabemos apenas que é uma garota, um dos airbags a sufocou e a garota encontra-se em coma, além disso, um dos ferros que estavam sendo carregados no carro atravessou o corpo da vitima. Tudo indica que o acidente foi proposital.
O jornal anunciou um dos piores acidentes registrados nos últimos três meses,  mas eu sinceramente não me importava, (S/N), era só nela que eu pensava, porque ela não podia me perdoar? Foi só um deslize, não iria acontecer de novo.
Recebi uma ligação de Perrie, ela estava desesperada, suas palavras eram desconexas e eu mal entendi sua frase. “(S/N) ..... acidente...... coma.  Foi tudo o que entendi e senti meu coração gelar, fiquei paralisado, Harry que era o melhor amigo de (S/N) começou a chorar, e eu soube, que a vitima daquele acidente era exatamente a minha princesa.
Pegamos o avião até Londres cancelando os shows. E agora eu estava ali, exausto, depois de uma semana vendo o meu pequeno anjo desacordado. Sua expressão facial era completamente tranquila, como se ela só estivesse tendo um sonho bom.
Eu e os bros ficávamos revezando quem ficava no hospital com (S/A) já que todos nós tínhamos que descansar e comer. O médico me disse que não havia muito a ser feito, alias, que o que havia para fazer já havia sido feito, e agora a gente só precisa esperar, esperar que o corpo dela reaja á cirurgia.
- Eu ..-  conferi que ninguém ia entrar no quarto – sei porque você fez isso. E se você soubesse o quanto eu me arrependo você acordaria só pra beijar meu rosto. – Sorri sem humor – Eu sei que acabei com qualquer chance de ficarmos juntos, mas quero que saiba. -  Segurei suas mãos quentinhas – Que não tem mais graça acordar sem ver o seu sorriso do meu lado, não tem mais graça cantar sabendo que você não vai escutar. Mas, sabe, é com você que eu imagino velho, é com você que eu me imagino discutindo á noite pra decidir quem vai apagar a luz do quarto -  Sorri imaginando a cena, nós dois deitados na nossa futura cama na nossa futura casa discutindo pra ver quem ia descer de cama e apagar a luz. – Ei, ta na hora de acordar você não acha? -  Beijei sua mão.
Ela continuou dormindo a tarde toda, isto é, eu espero que ela estivesse só dormindo. Harry estava lá, e eu tive que ir pra casa.
Fim do POV de Louis.
- Ai pequena, sinto sua falta.
- Também .. – fiz força para falar. – sinto sua .. falta.
Harry me olhou com os olhos arregalados, daquele jeito que so ele sabe, segurou minha mão e me abraçou apertado, gemi de dor.
Harry ligou para uma enfermeira e a mesma logo apareceu em meu quarto, ela pediu que Harry nos deixasse sozinhas, Harry ligou pra alguém.
Logo o médico entrou na sala, e disse que meus exames estavam tudo bem, e que meu corpo estava reagindo bem, e que no dia seguinte estaria em casa.
Harry passou o dia todo comigo, e logo quem ficou no quarto foi  Niall. Eu já disse que é impossível sentir dor ao lado de Niall? Ele é divertido, encantador, fofo e tudo mais. Ficamos conversando até altas horas, até que ele pegou no sono sendo seguido por mim.
No outro dia de manhã, Zayn estava lá com Perrie, os dois me olhavam ternamente enquanto eu pegava as coisas para irmos embora.
Ao chegar no meu apartamento, vi corações espalhados pela casa, trilhando um caminho até a sala, onde a tv estava ligada. Sorri, ao saber quem estava lá.
Louis não havia percebido minha presença, ele estava com um filhote de cachorro nas mãos.
- É Bolota. – Bolota? Ele deu mesmo esse nome para o cachorro? -  Eu planejava te dar de presente para a mamãe, você seria nosso filhinho enquanto nós não podemos arrumar um de verdade, mas parece que agora somos só eu e você. Seu pai é um idiota.
Sorri ao ver a forma com que ele se referiu á mim “mamãe” , Louis aquecia meu coração, eu não posso negar que senti falta de tudo.
- É, o pai dele é um idiota. -  Eu me encostei na parede e fiquei observando Louis.
Ele se levantou rapidamente, e me abraçou, eu não correspondi.
- Escuta, eu sei que eu não mereço seu perdão ..
- Você não merece nem a minha raiva Lou, mas eu não tenho culpa de amar você.
Lou sorriu e me abraçou novamente, sendo correspondido. Não que eu estivesse totalmente sem raiva dele, pelo contrário, deixei claro de que ele deveria conquistar minha confiança de novo.
Os meses passaram e eu estava fazendo fisioterapias. Lou, em todo show dedicava “ More Than This” pra mim.
Escrito por: J.M

2 comentários